Durante Assembleia realizada no dia 30 de março,
categoria decidiu retomar Estado de Greve

O Sinsep vai encaminhar à administração de Jaraguá do Sul e à Câmara de Vereadores o pedido para que se inclua mais 0,95% de reposição salarial no Projeto de Lei que institui a revisão anual de salários em 2022, referentes à projeção da inflação para o mês de março, contemplando assim os 14 meses de perdas salariais da categoria. Além disso, que se abra um canal de negociação para debater a pauta integral de reivindicações. Estas foram as decisões tomadas pelos servidores presentes à Assembleia Geral da Campanha Salarial realizada na noite do dia 30, no STIVestuário. A Assembleia aprovou também a retomada do Estado de Greve e a realização de uma nova Assembleia, em data a ser definida, para analisar o andamento das negociações com a Prefeitura.

De acordo com o Projeto de Lei encaminhado à Câmara, a administração concede 11,20% de reposição salarial, correspondentes à variação do IPCA dos últimos 13 meses, sem analisar as demais reivindicações dos servidores. Entre elas, aumento real de salário em 3%, abono salarial de 22,49%, reposição das perdas salariais acumuladas desde abril de 2016, de 10,75%, aumento do Auxílio Alimentação para R$ 27,00 por dia trabalhado e o fim do escalonamento para ter direito ao benefício, Piso Nacional do Magistério na carreira dos professores, e as revisões do Estatuto e do Plano de Carreira do Magistério e do Plano de Cargos e Salários da categoria.

Tribuna Livre

O presidente do Sinsep, Luiz Cezar Schorner utilizou por 10 minutos a Tribuna Livre da Câmara, durante a sessão do dia 31 de março, para reforçar o pedido de apoio dos vereadores aos servidores. Ao agradecer a oportunidade, Luiz lembrou que os próprios vereadores aprovaram uma Moção de Apelo para que o Executivo apresentasse uma proposta adequada, criando expectativa junto à categoria, e destacou o papel do Legislativo na campanha salarial ao discutir a pauta e provocar o debate. O presidente do Sinsep solicitou o empenho dos vereadores, neste sentido, reforçando que os servidores aceitam os 11,20% de reposição salarial, mas querem, entre outros pontos, a complementação de 0,95%, e que se resolva o problema do cálculo das horas extras como critério para o fornecimento do auxílio alimentação.

“Documento do Dieese prova que a administração tem como atender a pauta de reivindicações, porque o comprometimento da Receita Corrente Líquida com a folha de pagamento dos servidores é de 39,12%”, insistiu Luiz Schorner. Especificamente na área da Educação, o presidente do Sinsep advertiu que, em função dos salários defasados, “temos hoje uma grande rotatividade de professores na rede municipal, o que afeta sobremaneira a tão propagada qualidade de ensino no município”, citando como exemplo casos de “professores que assumem vagas de ACTs e logo em seguida pedem a conta para trabalhar no Estado ou em outros municípios onde o salário é melhor”.

Luiz Cezar na Tribuna Livre durante sessão da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul no dia 31 de março de 2022