Categoria está sem reajuste desde 2019 e acumula perdas de 20,19%

Reposição salarial de 20,19%, referentes à variação da inflação/INPC dos últimos três anos em que não houve qualquer reajuste, mais 3% de ganho real e aumento do valor do auxílio alimentação para R$ 600,00 mensais. Essas foram as reivindicações econômicas mais urgentes aprovadas pelos servidores de Corupá presentes à Assembleia Geral da Campanha Salarial realizada às 18 horas de ontem (15), na Câmara de Vereadores. A categoria quer ainda que a administração encaminhe os estudos para a revisão do Plano de Cargos e Salários dos Servidores Municipais, dando prioridade àqueles que percebem salários de até R$ 2.000,00. “Os servidores de Corupá estão sem aumento salarial desde 2019 e recebem atualmente um dos salários mais baixos de toda a nossa região”, reforça o presidente do Sinsep, Luiz Cezar Schorner, lembrando que a categoria, através do seu Sindicato, aguarda ansiosamente a negociação com o prefeito Luiz Carlos Tamanini “e a manifestação em relação à pauta de reivindicações extremamente justa e necessária”.

Nos últimos três anos os servidores de Corupá acumulam perdas salariais: de 3,86% em 2020, 4,94% em 2021, e de 9,38%, que é a projeção da inflação para 2022, na data-base 1º de março. Nesse período, o benefício do auxílio alimentação também não obteve reajuste, estando congelado em R$ 410,00 mensais. Por outro lado, o índice de comprometimento da Receita Corrente Líquida do Município com a folha de pagamento dos servidores foi de 43% no segundo quadrimestre de 2021. “O terceiro quadrimestre ainda não foi divulgado, mas deve ser semelhante”, adianta Luiz Schorner, “sendo assim, é possível conceder a inflação dos últimos três anos aos salários da categoria”.

A Assembleia aprovou ainda que a administração implemente o novo Piso Nacional do Magistério na carreira dos professores, retroativo a janeiro de 2022, conforme lei federal 11.738/2008 e portaria do MEC número 67, de 4 de fevereiro de 2022, que altere o Plano de Carreira do Magistério de Corupá, de modo a corrigir as diferenças entre professores com formação de nível de Magistério, pós-graduação, mestrado e doutorado. A pauta de reivindicações inclui também que seja aplicado o Piso Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde, referente aos anos de 2020, 2021 e 2022. A Assembleia contou com as presenças dos vereadores Bernadete Correa Hillbrecht (PSD) e Alfredo Gramm Sobrinho (PDT).