O Sinsep enviará às secretarias municipais de Educação de Jaraguá do Sul, Guaramirim, Corupá, Schroeder e Massaranduba ofícios com as deliberações tomadas na Assembleia Geral virtual dos profissionais da Educação, realizada na noite de 22 de fevereiro, que analisou as primeiras semanas de retorno das aulas presenciais e do semestre letivo com o sistema hibrido de ensino. Formada principalmente por profissionais da rede municipal de Educação de Jaraguá do Sul, a Assembleia reuniu dezenas de participantes, que apontaram crescimento exponencial dos casos de contágio pelo novo coronavírus entre os servidores das redes.

O Sindicato solicita agendamento de audiência com os secretários municipais de Educação para tratar sobre os encaminhamentos da Assembleia. Entre eles, o “retorno das aulas 100% remotas, enquanto a região permanecer em situação “gravíssima” no Mapa de Risco de contágio da doença; concessão de um dia da semana exclusivo para planejamento das aulas enquanto perdurar o sistema híbrido de ensino, assegurando o direito à legislação sobre hora atividade; redução do número de turmas por professor, com maiores atribuições aos tutores; solução para os problemas de condições de trabalho e de desrespeito às regras sanitárias apresentadas pelos planos de contingência.

As dificuldades em seguir os protocolos de distanciamento em salas de professores e no uso de equipamentos para preparação das aulas, diante das limitações que são a eles ofertadas. E os problemas com EPIs, considerados inadequados pela ampla maioria, além de poucos profissionais de limpeza e falta de insumos diante dos rígidos protocolos sanitários que deveriam ser seguidos, conforme orientam os planos de contingência são destacados no documento enviado às secretarias de Educação.

Os profissionais relatam ainda dificuldades de acesso aos sistemas informatizados para registro das atividades pedagógicas, um problema que percebem também entre os estudantes que, em sua ampla maioria, não têm acessado as salas virtuais. “E principalmente entre os ACTs recém contratados, que claramente não receberam ou receberam treinamento insuficiente para manusear os sistemas”. O documento cita ainda a grande sobrecarga de trabalho, “fator que tem se agravado pela falta dos tutores que deveriam auxiliar nos trabalhos remotos”, a realização de horas extras não pagas, o acúmulo de atividades e devolutivas e a impossibilidade do professor exercer o direito à hora atividade.

Como orientação à categoria, os presentes encaminharam ainda a recomendação de que os profissionais organizem o controle das suas horas trabalhadas, enviando às direções das unidades de ensino o registro de tudo aquilo que foi possível realizar e o que não foi possível dentro da sua jornada de trabalho regular. Evitando desta forma que os profissionais realizem atividades além da sua carga horária semanal.

Of. Secretaria de Educação de Jaraguá do Sul

Of. Secretaria de Educação de Guaramirim

Of. Secretaria de Educação de Massaranduba

Of. Secretaria de Educação de Schroeder

Of. Secretaria de Educação de Corupá