Vereadores aprovaram em votação única os 3% de reajuste salarial estabelecidos pela administração, diante de uma inflação de 4,67%

Os servidores públicos municipais de Jaraguá do Sul vão receber reajuste salarial abaixo da inflação dos últimos 12 meses, que foi de 4,67%. A data-base da categoria é em 1º de abril. Em sessão com a presença de apenas sete dos 11 vereadores, a Câmara aprovou no início da noite de hoje (23), em votação única e com quatro votos favoráveis, o reajuste de 3% estabelecidos pela administração Antídio Lunelli, conforme o Projeto de Lei 91/2019. Antes da votação, o presidente em exercício e servidor público de carreira, Celestino Klinkoski, negou dois pedidos de vistas feitos pelos vereadores Ademar Winter e Ronaldo Magal, para que o Projeto fosse melhor debatido entre os pares e para que a administração municipal reabrisse o canal de negociação com o Sindicato. O presidente do Sinsep, Luiz Cezar Schorner ainda teve a oportunidade de utilizar a Tribuna Popular da Câmara, mas somente depois da votação. O Projeto de Lei 92/2019, que amplia o direito ao benefício do auxílio alimentação a mais servidores, foi aprovado por seis votos favoráveis.
“Lamentável”. Assim o presidente do Sinsep resumiu a posição da mesa diretora da Câmara, “primeiro por não conceder a Tribuna Popular antes da votação dos projetos, o que já havia acontecido em outros momentos”, e também porque “alguns vereadores pediram vistas aos projetos de lei e foram negados, sem justificativa, pelo presidente da Casa”. Luiz Schorner também considerou lamentável a aprovação dos projetos sem negociação, porque os servidores, com as perdas acumuladas de 2016 a 2019, vão chegar a 11,76% de perdas salariais, bastante considerável nestes tempos que vivemos”. O presidente do Sinsep criticou a impossibilidade de negociar com a Prefeitura e a falta de apoio da maioria dos vereadores à luta pela reposição integral da inflação. “Resta ao Sindicato e à categoria continuarmos lutando pela valorização do servidor público, como sempre fizemos, valorização que esta administração deixa muito a desejar. É uma marca que tem este governo, de desvalorizar, prejudicar e retirar direitos dos servidores, vamos continuar lutando contra isso”, disse.
Luiz Schorner lembra que os servidores que recebem os menores salários pagos pela administração e os aposentados foram os mais prejudicados. “Para os menores salários, os 3% não repõem sequer a inflação, então, esses servidores não terão ganho nenhum”. Quanto aos aposentados, Luiz lembra que eles já têm grandes perdas no ato da aposentadoria, em relação às vantagens que os servidores da ativa possuem e que, portanto, “também terão apenas os 3%”. O presidente do Sinsep ainda destaca que, em março deste ano, foi implementada a nova alíquota da contribuição ao ISSEM Assistência e Saúde, que passou de 2% para 3% e mais 1% por dependente: “Dependendo da situação de cada servidor, com um ou mais dependentes, os 3% da reposição salarial não vão cobrir sequer o reajuste da contribuição ao ISSEM”, reforça. Luiz Schorner acrescenta que todas as prefeituras repassaram a inflação do período aos seus servidores, mesmo com grandes dificuldades financeiras: “As administrações tiveram a sensibilidade de recuperar pelo menos as perdas salariais, menos Jaraguá do Sul, que é a cidade mais rica, que mais arrecada e poderia continuar dando o exemplo que tínhamos há vários anos e, infelizmente, esse exemplo é muito negativo”.