Sessão virtual aconteceu na manhã de 11 de abril, com seis votos contrários aos servidores e quatro favoráveis. Demais regras de aposentadoria estão mantidas

A Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul aprovou hoje (11), em segunda votação e em sessão extraordinária realizada de forma virtual, a mudança na alíquota do percentual pago pelos servidores ao ISSEM, passando dos atuais 11% para 14% ao mês (PLC 05/2020). Votaram contra o Projeto do prefeito Antídio Lunelli e a favor dos servidores os vereadores Ademar Winter, Arlindo Rincos, Ronaldo Magal e Rogério Jung. Já os vereadores Celestino Klinkoski, Marcelindo Gruner e Natália Petri, todos servidores de carreira, além de Anderson Kassner, Eugênio Juraszek e Pedro Garcia votaram favoráveis ao PLC 05, impondo aos servidores mais 3% de contribuição mensal ao ISSEM. “Enquanto representantes de toda a categoria, lamentamos muito a decisão da maioria dos vereadores em aumentar a alíquota ao ISSEM neste momento tão grave na vida de cada servidor, mas é importante ressaltar que foram mantidas as regras atuais de concessão e cálculo dos benefícios da aposentadoria”, destaca o presidente do Sinsep, Luiz Cezar Schörner.
“Mais uma vez prevaleceu a vontade política do prefeito Antídio Lunelli que, durante todo o seu mandato, soma contínuas ações de retiradas de direitos e desvalorização do serviço e dos servidores públicos”, critica Luiz, lembrando que, somente em 2020, “além de não conceder a reposição salarial, agora, o prefeito retira mais 3% do poder de compra de nossos salários”. Desde que os projetos de mudanças na Previdência do ISSEM chegaram na Câmara, o Sinsep mobilizou a categoria para reagir: “Realizamos a Audiência Pública, apresentamos os nossos estudos aos vereadores e conseguimos, por unanimidade, a rejeição das mudanças nas regras das aposentadorias do ISSEM, não permitindo que o prefeito Antídio Lunelli nos fizesse trabalhar mais e ganhar menos nas aposentadorias”, explica o presidente do Sinsep, “ou seja, não foi modificado absolutamente nada em relação à idade, tempo de serviço ou base de cálculo para definição dos valores dos benefícios”. Luiz faz questão de agradecer aos servidores “que se mobilizaram para barrar a tentativa do prefeito de nos fazer trabalhar até morrer, ou morrer trabalhando”.