Servidores Públicos Municipais de Corupá lotaram a Câmara de Vereadores na noite de 31 de agosto para ouvirem as propostas dos dois candidatos. Foi o quarto e penúltimo Encontro promovido pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jaraguá do Sul e Região e tem por objetivo ouvir o que os candidatos a prefeito pretendem fazer para valorizar o servidor e o serviço público. “O servidor é uma das peças mais importantes na prestação do serviço público. Está na ponta do atendimento e é necessário que tenha as melhores condições possíveis para atender bem o cidadão”, destacou o presidente do Sinsep, Luiz Cezar Schorner, lembrando ainda que o “a população elege um prefeito enquanto o servidor elege o patrão”. Em Corupá são dois candidatos: Edy Edgar Eipper (PSDB/PMDB/PDT/PDC/PPS e PSB) e João Carlos Gottardi (PP). A apresentação é por ordem alfabética.

Edy Edgar Eipper
Dos sete partidos que existem em Corupá, seis fazem parte dessa Coligação. E, na avaliação do candidato a prefeito, essa aglutinação representa a união de todas as forças do município. “Se todos trabalham juntos os resultados para a cidade são melhores”, acredita o candidato, que se diz contrário a coligações por motivos políticos. O candidato afirma ainda ter uma “filosofia diferente do que tudo o que foi aplicado” e se diz disposto a valorizar os servidores para cargos de chefia, desde que tenham espírito de liderança. “Sou contrário a indicações por conchavos políticos”, acentuou, mas frisou que pretende dividir o espaço meio a meio entre o PSDB e o PMDB. “Vou fazer como faço em minha empresa, onde consegui reduzir o número de funcionários através da auto-gestão”. Perguntado sobre a elaboração e aprovação do Plano Municipal de Educação sem a participação dos servidores, o candidato alegou a pressa e a urgência do momento, mas adiantou que nada impede que o Plano seja revisado e atualizado. Disse que vai formar uma Comissão e que tudo será feito e aprovado por meio dela, que será integrada por diversos setores representativos. O candidato, que já foi vereador, admitiu ainda que, durante o tempo que ocupou uma cadeira no Legislativo, não “teve uma grande performance” no que se refere aos servidores públicos. “Não fui um representante dessa classe. Me preocupei mais com o aspecto econômico da cidade e aceito 100% a crítica”.

João Carlos Gottardi
O candidato começou sua fala dizendo que o Sindicato é o único representante dos servidores e que praticamente tudo o que consta na Carta Compromisso já faz parte de seu plano de governo. Ele fez um balanço de sua vida política em Corupá, que começou em 2004, quando foi candidato a vereador pelo PT. Na gestão do prefeito Conrado Müller foi convidado e assumiu um cargo na Secretária de Esportes (2007-2008). Nesse período, segundo ele, mais de mil crianças praticaram esportes e foi construída a quadra poliesportiva. Elegeu-se vereador em 2008 e criou o site transparência. Entre 2013 e 2014 foi assessor do deputado estadual Décio Lima (PT)e em 2012 candidatou-se a prefeito. O candidato deixou claro: “se for eleito, serei um funcionário igual a vocês”. Prometeu que vai permitir participação popular e que vai escutar os servidores. Se comprometeu a promover a capacitação dos profissionais e elaborar o Plano de Cargos e Salários, que “será feito junto com o Sindicato”. Ainda segundo ele, será reativada a Educação Especial, os horários das creches serão ampliados e os servidores capacitados farão parte dos cargos comissionados, além da readequação dos espaços públicos com acesso às pessoas portadoras de deficiências e garantiu que nenhum direito será retirado. O candidato também se comprometeu a promover a humanização do atendimento, implantar a coleta seletiva do lixo, revitalizar as salas de informática, implantar a Escola Integral e colocar a Educação e a Saúde como prioridade, garantindo também que vai respeitar o Piso Nacional do Magistério. “Minha coligação foi com o povo”, afirmou.

 

CARTA COMPROMISSO

Eu, candidato a Prefeito de Corupá, Santa Catarina, assumo o compromisso de dialogar e negociar com o SINSEP, único e legítimo representante legal dos interesses coletivos dos servidores públicos municipais de Corupá e região, priorizando as demandas relacionadas nesta Carta Compromisso.

1. Mesa de Negociação permanente instituída em Lei Municipal como espaço de diálogo e transparência;

2. Aplicação de índices de reajuste real de salário e do auxílio alimentação previsto na Lei Orçamentária Municipal anual;

3. Concursos públicos periódicos;

4. Programa de Valorização dos Servidores Públicos Municipais, com:

a. Metas voltadas para a saúde e segurança no trabalho;

b. Combate ao assédio moral e sexual no trabalho;

c. Melhoria das condições físicas e dos equipamentos nos locais de trabalho;

d. Realização de cursos de aperfeiçoamento e atualização;

e. Acesso a políticas específicas de Habitação, Cultura e Crédito, dentre outras.

5. Revisão do Plano de Carreira dos Servidores Públicos Municipais de Corupá;

6. Revisão do Estatuto do Magistério Público Municipal;

7. Complementação na tabela salarial do magistério de 21% (vinte e um por cento) para que seja restabelecida a diferença salarial entre professor com nível de magistério e o professor com Licenciatura Plena, conforme Lei nº 1.193/99

8. Gestão democrática na educação

9. Implantação integral da hora-atividade na Educação Infantil e Ensino Fundamental, de acordo com a Lei 11.738/08;

10. Cumprir a Lei 11.738/08, que institui o Piso Salarial Nacional para os profissionais do Magistério Público de Educação Básica, da seguinte forma:

a. Implantar integralmente a hora-atividade na educação infantil e no Ensino Fundamental;

b. Aplicar o reajuste concedido na carreira de todos os profissionais do magistério, sempre retroativo a janeiro de cada ano.

11. Adequação da legislação municipal às alterações da legislação federal no que diz respeito ao servidor público municipal, como redução de carga horária, criação de pisos nacionais, licença paternidade, dentre outros;

12. Nomeação de servidores efetivos para ocuparem funções gratificadas e cargos comissionados;

13. Liberação de dirigente sindical para que possa capacitar-se na defesa da categoria que representa;

14. Liberação de servidores para participarem de atividades desenvolvidas pelo Sinsep, tais como palestras, cursos e seminários.

Corupá, 31de agosto de 2016.