Sinsep representado nesse momento histórico do sindicalismo catarinense

Eleita durante o 12º Congresso Estadual da CUT, a professora Anna Júlia Rodrigues entra para a história do sindicalismo catarinense como a primeira presidenta da Central Única dos Trabalhadores – Santa Catarina. O evento foi realizado de quarta a sexta-feira (19 a 21) da semana passada, em Florianópolis, reunindo cerca de 450 delegados, entre eles os representantes do Sinsep: Idiney Petry, Julie Alexandra Marchetti Poglia, Glauce Luciana Klabunde Ern, Luiz Cezar Schörner, Nivaldo Alves Ribeiro e Odi Névio Alessi.

Anna Júlia, que sucede o comerciário Neudi Giachini, exercerá a presidência da maior central sindical de Santa Catarina pelos próximos quatro anos. Ela agradeceu as pessoas que a apoiaram durante sua trajetória de militância, em especial a sua família: “Eu tenho o suporte do meu filho, que nasceu e cresceu no meio das mobilizações, ele é um dos principais motivos para eu lutar por um mundo mais igual.” A nova presidenta da CUT-SC ressaltou o momento político e pediu a unidade dos trabalhadores, convidando todos os ramos e correntes políticas da Central a se engajarem na defesa da democracia.

CONGRESSO – “União” e “enfrentamento” foram as palavras mais pronunciadas durante os três dias do 12º CECUT, que, além de eleger a nova diretoria da Central, também definiu – depois de muitos debates – o Plano de Lutas e os rumos da CUT-SC para os próximos quatro anos. Uma avaliação da conjuntura nacional, com o presidente da CUT Nacional, Vagner Freitas, e com o economista do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), José Álvaro Cardoso, contribuiu para a discussão acerca do cenário econômico e político do Brasil e como esse momento está sendo utilizado pelas forças conservadoras interessadas em retirar todos os direitos conquistados pelos movimentos sindicais e sociais.

MANIFESTAÇÃO – No entendimento dos participantes do Congresso, a conjuntura nacional evidencia a necessidade de luta nas ruas pela garantia de direitos e contra a criminalização do movimento sindical. E para colocar esse discurso em prática, os cerca de 400 delegados do CECUT juntaram-se aos mais de mil participantes de Florianópolis no Ato em Defesa da Democracia, que foi realizado no último dia 20 em dezenas de cidades brasileiras.

Mais informações no site da CUT-SC