Escolha uma Página

Os servidores públicos municipais de Guaramirim reivindicam 5% de reajuste salarial (2% de previsão de INPC dos últimos 12 meses + 3% de ganho real) e aumento do vale refeição de R$ 450,00 para R$ 550,00. São as principais propostas econômicas de negociação aprovadas durante Assembleia Geral realizada na noite do dia 5 de fevereiro, na Câmara de Vereadores. A data-base da categoria é em 1º de março, quando já estão previstos outros 2% de reajuste salarial referentes à última parcela das perdas de 2016 (defasagem era de 4% e os outros 2% foram repassados em 1º de dezembro de 2017). Já em relação ao vale-refeição, o prefeito assumiu, em campanha eleitoral, o compromisso de elevar o benefício em R$ 100,00 por ano, durante o mandato.

A continuidade dos estudos visando a revisão dos Planos de Cargos e Salários dos Servidores e de Carreira do Magistério foi outra reivindicação aprovada durante a Assembleia. O presidente do Sinsep, Luiz Cezar Schorner advertiu aos servidores presentes quanto os ataques sofridos pela classe trabalhadora, principalmente após a vigência da antirreforma trabalhista (Lei 13.467/2017) e reforçou a necessidade de união da categoria em torno do Sindicato, neste momento difícil, pedindo que os servidores autorizem o desconto da Contribuição Sindical em favor da entidade, equivalente a 1(um) dia de trabalho, no mês de março.

Luiz Schorner falou ainda sobre a antirreforma da Previdência (PEC 287/2016) que pode ser votada este mês na Câmara dos Deputados e representar o fim da aposentadoria para milhões de trabalhadores e trabalhadoras brasileiros. “Se aprovada, aposentar-se somente aos 65 anos, para homens, e 62, para mulheres”. Lembrou que a antirreforma da Previdência só não foi votada ainda graças à pressão das entidades sindicais e dos movimentos sociais e que a intenção do governo Temer é entregar a Previdência Pública para a iniciativa privada: “Não existe rombo na Previdência”, disse Luiz, citando a conclusão da CPI da Previdência, no Senado Federal.

Dos 16 deputados federais catarinenses, até o momento, sete já manifestaram posição contrária à antirreforma da Previdência, cinco são favoráveis e outros quatro, indecisos. “Temos que pressionar os deputados, enviar e-mails para que rejeitem a antirreforma da Previdência; se votar, não volta”, advertiu o presidente do Sinsep.  Dia 19 de fevereiro acontecem manifestações, em todo o país, contra a antirreforma da Previdência. Além de Luiz Schorner, participaram da Assembleia as diretoras Neiva Fracasso e Idinei Petry, além das dirigentes do Sinsep em Guaramirim, Laura Odazia de Oliveira, Viviane Cazzaniga e Salete Marchi Ferrari.

Pin It on Pinterest