Escolha uma Página

Reposição de 10,20% e fim dos ataques aos direitos da categoria
foram aprovados durante Assembleia Geral realizada no dia 28

Os servidores públicos municipais de Jaraguá do Sul reivindicam 10,20% de reposição para a Campanha Salarial de 2018. A proposta foi aprovada durante Assembleia Geral realizada no início da noite de ontem (28), no auditório do STIVestuário. O percentual diz respeito à reposição das perdas salariais não repassadas durante os governos Dieter Janssen/Jaime Negherbon, de 2,93% (janeiro a março de 2016), as perdas acumuladas no primeiro ano de mandato do prefeito Antídio Lunelli, de 4,57% e a previsão de inflação até 1º de abril de 2018, data-base da categoria, estimada em 2,95%.

A categoria mantém Estado de Greve, a luta para resgatar os direitos perdidos no início desse ano e para que não seja encaminhado à Câmara de Vereadores qualquer projeto que retire direitos. Reivindica, ainda, a retorno de programas de formação (PDH), a qualificação permanente dos servidores públicos e a liberação de dirigentes sindicais em até 10 dias ao ano para participarem de reuniões, cursos, congressos do interesse dos servidores. Nova Assembleia Geral deve acontecer em meados de abril de 2018. Os servidores presentes rechaçaram projetos como o ‘escola sem partido’ e a proibição do debate sobre gênero em sala de aula.

Mobilização permanente

Os servidores jaraguaenses devem participar das sessões do legislativo e acompanhar permanentemente a tramitação de projetos relativos à categoria na Câmara de Vereadores. E vão promover campanhas de esclarecimentos à população para que não votem em candidatos que traíram os interesses da categoria e da classe trabalhadora em geral.

Contra a reforma da Previdência

As centrais sindicais, federações e sindicatos de trabalhadores de todo o país convocam para uma Greve Geral, no dia 5 de dezembro, contra a votação da ‘antirreforma’ da Previdência pelo Congresso Nacional. Durante a Assembleia, o Sinsep distribuiu aos representantes por local de trabalho um informativo sobre as consequências nefastas da antirreforma da Previdência que podem levar os trabalhadores a não se aposentarem mais.

Entre outros pontos, a intenção do governo Temer é de que os professores possam se aposentar somente aos 60 anos, as mulheres aos 62 anos, e os homens aos 65 anos de idade, ainda assim, com valor reduzido no benefício. O informativo traz ainda os e-mails e whatsapp de todos os 19 representantes de Santa Catarina no Congresso Nacional, para que a população pressione os parlamentares a rejeitarem a antirreforma da Previdência.

Pin It on Pinterest