Escolha uma Página

Quem se dedica à Educação como professor precisa ser valorizado

Neste 15 de outubro – Dia do Professor, o Sinsep parabeniza os profissionais da educação e faz um breve resgate sobre a importância do Magistério na sociedade em que vivemos, injusta e desigual. Além de professores, eles são pais/mães, médicos, enfermeiros, psicólogos, padres/pastores, pacificadores, conselheiros, assistentes sociais. Isso acontece porque as famílias se ocupam pouco com os filhos e delegam à escola toda responsabilidade de educá-los. Alguém que não recebe educação, não se desenvolve como pessoa e, portanto, não adquire toda a dignidade a que tem direito.

A situação vivida pelo professor, em Jaraguá do Sul, reflete o momento de crise institucional do país. No começo do ano, os direitos dos servidores públicos municipais, e a categoria dos professores em especial, foram atacados de forma cruel pela administração. O pacote de maldades, lamentavelmente, teve a conivência da maioria dos vereadores. Depois de 31 dias de greve, contando com ampla participação dos servidores do Magistério, começaram as perseguições, as exigências abusivas do calendário de reposição de aulas e vieram a desmotivação em sala de aula, o desencanto diante de uma administração que não reconhece e não valoriza o trabalho do professor.

Para que possa cumprir plenamente a sua função social, que é a de formar cidadãos e cidadãs plenamente conscientes da realidade em que vivem e em condições de contribuir para as transformações de que a sociedade necessita, a escola precisa viver um processo de humanização. Ou seja, o ser humano que nela trabalha contribui de forma decisiva para o desenvolvimento do país, em todas as suas dimensões e deve ter suas necessidades atendidas.

O que significa, então, valorizar o professor? Em primeiro lugar, de acordo com Parecer do CNE (Conselho Nacional de Educação), estabelecer com o professor uma relação de respeito a suas necessidades como profissional e cidadão, sempre tendo como perspectiva a qualidade do ensino. Isto passa pela sua formação inicial e continuada no local de trabalho; carreira justa e atraente; salários dignos; condições de trabalho; participação efetiva na gestão do projeto político-pedagógico de sua unidade escolar e na definição das políticas educacionais.

Como imaginar que um professor possa estar motivado para desenvolver um trabalho de qualidade se sua opinião sequer é considerada nas decisões que se tomam na escola e na gestão do sistema de ensino? Como pode o professor dedicar-se de forma plena ao seu trabalho se recebe salários ainda aviltantes? Com as condições de trabalho extremamente deficientes na imensa maioria das escolas públicas? Com salas superlotadas, violência dentro das próprias escolas, autoritarismo, escolas mal planejadas e mal construídas, jornadas de trabalho estafantes?

A educação, diferentemente de outras áreas da atividade humana, não produz mercadorias – forma pessoas. Ela tem no ser humano seu ponto de partida e seu ponto de chegada, é na relação humana que o processo educativo se realiza. Pelo trabalho, o professor produz cultura e gera conhecimentos que serão transmitidos às sucessivas gerações por meio da educação. Respeite e valorize o professor.

Pin It on Pinterest